sexta-feira, 3 de janeiro de 2020

MAIS UM AUXILIAR PENITENCIÁRIO É EXECUTADO A TIROS EM SÃO LUÍS


Mais um agente penitenciário temporário foi executado a tiros em São Luís, (MA). Desta vez a vítima foi Carlos Augusto Pereira. Ele foi executado a tiros na manhã desta sexta-feira, (3)  na porta a agência do Banco do Brasil na Cohab. Segundo informações o crime foi praticado por dois homens que se aproximaram da vítima e efetuaram os disparos pelas costas  sem oferecer qualquer chance de defesa para o agente. Carlos acabou morrendo no local e os criminosos fugiram sem serem identificados.

PROFISSÃO PERIGO
Em menos  de uma semana esse é o segundo assassinato de funcionários terceirizados que trabalham no Sistema Prisional do Maranhão. No último dia 29 a vítima foi o também agente temporário Antônio Magno Reis Duarte, 45 anos. Ele estava sentado na porta de sua residência no bairro  Vila Mauro Fecury,  (Anjo da Guarda ), quando foi surpreendido por dois homens em uma moto. Os criminosos dispararam vários tiros matando a vítima no local.  Antes no início do mês de dezembro o guarda temporário identificado como Anderson Bernardes Rocha, conhecido como "Massa Bruta", foi atingido a tiros por dois homens não identificados. A vítima foi levada para o hospital e conseguiu sobreviver.  Em nenhum  dos casos a polícia conseguiu prender os criminosos. Os terceirizados que trabalham no Sistema Prisional do Estado estão assustados com os ataques e reclamam que ficam muito vulneráveis em função de não terem direito ao porte de arma.

2 comentários:

  1. Esse pessoal temporário é como rês enviada ao matadouro.
    Não tenho dúvida de que essas mortes são ordenadas de dentro dos presídios, por alguém a quem tenham desagradado.

    ResponderExcluir
  2. Carlos Augusto recentemente defendeu o TCC na faculdade Pitágoras, e ia colar grau daqui a alguns dias, mas seus sonhos, seus projetos de futuro foram interrompidos por aqueles que são escórias da sociedade. A pena de morte no Brasil já deveria ser discutida pelo inúteis do congresso Nacional, pode ñ extinguir os homicídios dolosos, porém reduzirão a sua frequência.

    ResponderExcluir