sexta-feira, 8 de novembro de 2019

JUSTIÇA DECIDE MANTER NA PRISÃO TODOS OS ENVOLVIDOS NA MORTE DO PREFEITO DE DAVINÓPOLIS




A justiça  negou pedido de habeas corpus feito pelos advogados em favor dos cinco acusados de envolvimento na trama que resultou na morte do ex-prefeito da cidade de Davinópolis,  (MA), Ivanildo Paiva. Apontados como autores do crime estão presos o ex-vice prefeito José Rubem Firmo, conhecido como o "Rubem Lava Jato", o fazendeiro Antônio José,  Messias,  que seriam os mandante do crime. Já os policiais militares Francisco de Assis Bezerra Soares,  o "Tita", Williame Nascimento da Silva e o mecânico José Benilton Feitosa Guimarães,  conhecido como  "Boca Rica", seriam os executores.  Ele estão presos desde novembro do ano passado, data em que o ex-prefeito foi assassinado.  

PROMESSAS NÃO CUMPRIDAS
O ex-prefeito Ivanildo Paiva foi encontrado morto no dia 11 de novembro do ano passado em um matagal nas proximidades de uma das fazendas de sua propriedade na zona rural de Davinopolis.  Nas investigações a polícia concluiu que Ivanildo foi assassinado em função de não ter cumprido acordos que teria feito com o vice na época da campanha. Rubem teria se desfeito de algumas propriedades e até de um posto de gasolina para investir na campanha. Em contrapartida Ivanildo daria cerca de 300 mil reais  para o seu vice e ainda passaria para ele o controle da Secretária de Educação do município.  No entanto depois de eleito Ivanildo não cumpriu o acordo e Rubem começou a passar por dificuldades financeiras e então se uniu a Antônio Messias e contratou os pistoleiros para executar a vítima.  Desde que foram presos os acusados vinham tentando conseguir a liberdade.  No entanto acabaram tendo mais um  pedido de liberdade negado pela Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário