quinta-feira, 18 de julho de 2019

QUADRILHA QUE ATUA NO AGRONEGOCIO TERIA CAUSADO PREJUÍZOS DE MAIS DE 70 MILHÕES EM SONEGAÇÃO FISCAL NO MARANHÃO




Investigadores da Superintendência Estadual de Combate à Corrupção da Polícia Civil do Maranhão apoio do Grupo de Especial de Combate à Organizações Criminosas do Ministerio Público estão realizando nesta quinta-feira,(18), uma operação para cumprir 65 mandados judiciais,  sendo 25 de prisão temporária  2 de prisão preventiva e 38 de busca e apreensão. A operação visa combater uma organização criminosa que atua em fraude tributária, sonegação fiscal decorrente da venda de grãos principalmente na região Sul do Maranhão e outros Estados. O trabalho conta também com o apoio das polícias civis do Piauí,  Ceará e Tocantins. 

CRIME ORGANIZADO
O processo que investiga a quadrilha corria em segredo de Justiça na 1ª Vara Criminal da Capital e segundo levantamentos no período de 2015 a 2017 a organização criminosa causou ao Estado do Maranhão  um prejuízo estimado em mais de 70 milhões de reais só em sonegação de impostos. O grupo usava dados de pessoas já falecidas para a implantação de empresas fantasmas.  De forma organizada o grupo agia em três frentes.  Uma delas era responsável pela criação de empresas de fachada com  uso de documentos falsos. A outra seria responsável por intermediar a compra e venda de grãos e o outro núcleo do bando seria encarregado da contabilidade, esquentando notas frias para tentar dar uma sensação de legalidade para as ações criminosas do grupo.  Está não é a primeira vez que a Polícia Civil do Maranhão abre investigações para  apurar ações criminosas usando como fachada o agronegocio. As ações da policia estão ocorrendo nas cidades de Balsas, (MA), Araguaina, (TO), Riachão, (MA), Xinguara, (PA) , Floriano, (PI) e Fortaleza, (CE).

Nenhum comentário:

Postar um comentário