sábado, 27 de julho de 2019

POLICIAL MILITAR E VIGILANTE ENVOLVIDOS NA CHACINA DO COQUILHO IRÃO A JÚRI POPULAR

O juiz da 2° Vara do Tribunal do Juri, Gilberto de Moura Lima, decidiu pronunciar a juri popular o policial militar Hamilton Caíres Linhares e o vigilante Evilásio Lemos Ribeiro Junior.  Os dois são acusados dos assassinatos dos adolescentes Gustavo Feitosa Monroe, Gildean Castro Silva e Joanderson da Silva Diniz. Os três foram torturados e executados com tiros na cabeça em uma área onde estão sendo construídos imóveis do programa Minha Casa Minha Vida na comunidade Coquilho/Mato Grosso, Zona Rural de São Luís.
O CRIME
O crime ocorreu em janeiro deste ano e de acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público o policial Hamilton Caíres,  que na época era lotado no Centro Tático Aéreo, (CTA ) estava trabalhando no local fazendo a segurança da obra em companhia de Evilásio e outros vigilantes. As vítimas teriam passado por dentro da área para irem até um local destinado ao banho e a pesca. As vítimas estavam em bicicletas e foram perseguidos e capturados pelos acusados. Os corpos dos três adolescentes só foram encontrados no dia seguinte com sinais de tortura e execução.  O crime gerou revolta na população e vários protestos foram realizados cobrando a identificação e punição dos acusados. Os três adolescentes teria  sido mortos ao serem confundidos com pessoas que estariam furtando material da obra. Na mesma decisão o juiz determinou que seja mantida a prisão preventiva dos dois acusados.
                                       

                                     

Nenhum comentário:

Postar um comentário