quarta-feira, 22 de maio de 2019

GUARDA PENITENCIÁRIO MATOU PROFESSORA E OSTENTOU GASTANDO O DINHEIRO DA VITIMA



O guarda penitenciário temporário Marcio Jorge Lago Marques, foi apresentado nesta quarta-feira,(22) em uma coletiva de imprensa na unidade da Polícia Civil na região central da cidade como o autor do assassinato da professora Roseane Costa. Ela foi encontrada morta no último dia 13 nas proximidades do Centro de Ciências Sociais do Campus da Universidade Federal do Maranhão. De acordo com a polícia Márcio conheceu a vítima através do aplicativo Badoo de relacionamento. 

DIVIDA
No relacionamento que manteve com a vítima ele pediu cerca de R$ 2 mil reais emprestado. Apesar das cobranças feitas por Roseane, ele não quitava a dívida e sempre procurava ganhar tempo. No dia em que foi assassinada a vítima ligou para Márcio e voltou a cobrar o dinheiro que ele lhe devia. Márcio que é casado mas continuava se relacionando com a vítima resolveu convidar Roseane para ir até a sua casa.  Ele aproveitou para atrair a vítima já que estava sozinho em casa e a sua esposa estava de plantão Unidade de Pronto Atendimento,(UPA) na área Itaqui/Bacanga.  Eles passaram a tarde juntos e quando já estava próximo de ir embora a professora voltou a falar na dívida.

MORTE E OCULTAÇÃO DE CADÁVER
Naquele momento o acusado se irritou e teria aplicado um "mata Leão" no pescoço da vítima provocando a sua morte. Em seguida ele colocou o corpo de Roseane no banco traseiro e saiu para ir buscar a esposa no trabalho e procurando um local para se livrar do corpo.  Foi então que ele levou o cadáver da vítima até o Campus do Bacanga onde fez a "Desova".

OSTENTAÇÃO
Após ter se livrado do corpo da vitima ele foi até a UPA onde apanhou a sua esposa e em seguida com o cartão da professora assassinada foi até o Supermercados Mateus do Anjo da Guarda onde comprou whisky,  cerveja e até uma churrrasquira elétrica. Ele também sacou dinheiro da conta da vítima. Após o crime ele fez vários saques de R$ 1.500,00 reais da conta da professora. De acordo com as investigações Roseane tinha antes de ser morta um saldo de cerca de R$ 11.000,00 mil reais na sua conta bancária.  Grande parte desse dinheiro teria sido gasto pelo acusado.  Na coletiva à delegada Viviane Fontinelle disse que a prisão temporária dele e de 30 dias para que a Polícia Civil conclua o inquérito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário