segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

POLICIAL ACUSADO DE CHACINA NO COQUILHO TEM PRISÃO PRORROGADA PELA JUSTIÇA

A Justiça prorrogou por mais 30 dias a prisão temporária do soldado da Polícia Militar do Estado do Maranhão, Hamilton Caíres Linhares. Ele é lotado na Companhia de Operações Especiais, (COE) e é o principal suspeito das execuções dos jovens Jeanderson da Silva Diniz, 17 anos, Gustavo Feitosa Monroe, (18) e Gildean Castro Silva, 14 anos. Os três foram torturados e executados a tiros no início de janeiro deste ano em uma área onde estão sendo construídos imóveis do Programa Minha Casa Minha Vida na área do Coquilho
,(Zona Rural ). As três vítimas não tinham antecedentes criminais e foram surpreendidas pelos criminoso quando se deslocavam por uma área usada pelos moradores da comunidade para terem acesso ao mangue. O policial Hamilton Caíres estava de folga e fazia um extra trabalhando no local com um grupo de vigias da K2 Engenharia, responsável pela obra. Preso dias depois do crime o militar admite que estava no local e que chegou a perseguir os três rapazes. No entanto Hamilton nega que tenha cometido os crimes. O caso esta sendo investigado na Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa, (SHPP)  e os delegados solicitaram a prorrogação da prisão do acusado para concluir o inquérito policial. O  acusado está recolhido no presídio conhecido como "Manelão" que fica no quartel do comando geral da Polícia Militar no Calhau.
                                


Nenhum comentário:

Postar um comentário