quinta-feira, 22 de novembro de 2018

DEPOIS DE PREGAÇAO NO DESTERRO PADRE E ARCEBISPO DE SÃO LUIS SÃO AMEAÇADOS PELAS REDES SOCIAIS



O Padre Ribamar Nascimento da Paroquia do Bairro da Liberdade denunciou na missa celebrada por ele  no domingo, (18) que vem sofrendo ameaças e ataques pelas redes sociais. Segundo ele as ameaças também são dirigidas ao arcebispo de São Luís Dom José Belisário. De acordo com o padre as ameaças começaram depois da celebração realizada por ele na igreja do Desterro na última terça -feira, (20) pela passagem do Dia da Consciência Negra. Para marcar a data e dar um recado claro contra o preconceito. O religioso fez a pregação usando um turbante. Bastou as imagens serem divulgadas na internet para que o padre passasse a ser vítima de ataques e ameaças . O caso virou polêmica já que outras pessoas resolveram apoiar e prestar solidariedade ao pároco da Liberdade. Veja alguns comentários.

 "Satanás!
Aberração!
Padre profano!
Herege!
Quando morrer vai para o inferno e leva muitas almas junto..."




São apenas alguns dos ataques, por meio das redes sociais, e, também, fora delas, que estão sendo dirigidos ao padre Ribamar Nascimento, vigário no bairro da Liberdade, em São Luís. No último domingo, durante a missa, o religioso relatou aos paroquianos a grave ameaça que vem sofrendo desde a última quinta-feira.
Ele disse temer por sua integridade fisica. "A intolerância no Brasil chegou a um nivel muito alto. Não se sabe até onde essas pessoas podem ir", relata o padre. Os ataques, segundo ele, também são dirigidos ao arcebispo de São Luís, dom Belisário.
Mas, o que de tão grave padre Ribamar cometeu? Celebrar uma missa. Este é o crime pelo qual o religioso foi julgado e condenado.
A celebraçâo se chama 'Missa dos Quilombos' e aconteceu na última quinta-feira, 15 de novembro, na Igreja do Desterro, em homenagem ao Dia de Combate à Intolerância. Há oito anos, esta mesma missa é realizada em São Luís, em paróquias diferentes.
A Missa dos Quilombos, organizada pelas Comunidades Eclesiais de Base, da Igreja Católica, foi criada em 1981, por Dom Pedro Casaldaliga e Pedro Tierra, com o objetivo de denunciar as consequências do preconceito no Brasil, por meio da manifestação de fé e comunhão entre os diferentes povos.
Padre Ribamar explica que, na Missa dos Quilombos deste ano, a única coisa que ele fez de diferente foi usar um turbante colorido na cabeça. E, no inicio da celebração, houve a apresentação de uma roda de tambor de crioula, dança de origem africana. Desde então, os ataques não param.
"Todo o rito da Missa dos Quilombos que celebrei foi dentro da liturgia da Igreja Católica. As músicas e os instrumentos foram os mesmos que usamos em todas as nossas celebrações. Deus é amor. Deus quer a união dos povos. Não entendo toda essa intolerância e violência", relata padre Ribamar, com tristeza pelo que vem sofrendo.
Padre Ribamar é mais uma vítima da intolerância religiosa e preconceito racial, tão em evidência no Brasil de hoje. Ele precisa do apoio de todos que se contrapõem a esta prática abominável.
E hoje, Dia da Consciência Negra, tudo isso que padre Ribamar está passando apenas comprova que somos, sim, um país preconceituoso, racista e com muita gente hipócrita!

Nenhum comentário:

Postar um comentário