segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

JUÍZA DE COROATÁ QUER MANDAR PRENDER O PRESIDENTE DO SINDICATO DOS ADVOGADOS DO MARANHÃO


A juíza da comarca de Coroatá, Joseane Araújo Farias Braga ingressou na justiça com uma ação contra o presidente do Sindicato dos Advogados do Estado do Maranhão ,  ( SAMA), Mozart Baldez. O advogado é acusado da pratica de crime de difamação contra a magistrada.
Na petição o Advogado da juiza, José Cavalcante de Alencar Júnior,pede a condenação de Mozart Baldez, por crime de calunia.

OS FATOS

Em abril do ano passado  o Presidente Mozart Baldez e o diretor Tufi Maluf Saad, estiveram na Comarca de Coroatá e ao  perguntarem pelo titular do Fórum, foram informados pelos serventuários que a Juíza JOSANE ARAÚJO FARIAS BRAGA, que também respondia pela Segunda Vara, ainda encontrava-se em deslocamento de ônibus para aquele município, não tendo horário certo para chegada.
Os Advogados Baldez e Tufi foram então até a distribuição para requererem os boletos para pagamento de emissão de uma certidão de ausência da Magistrada, no Banco do Brasil local, momento em que a mesma estava fechada, sem nenhuma explicação. Desconfia-se até que o fato foi premeditado para não haver comprometimento e retaliações.
Ato contínuo o sindicalista gravou um vídeo em frente a Comarca e denunciou nas redes sociais que não havia juiz em nenhuma das varas e que a distribuição estava fechada. Indignado revelou que foram 240km(ida e volta) de viagem numa BR cheia de buracos, tendo corrido riscos no deslocamento e com a agravante de haver telefonado no dia anterior para saber se haveria expediente. E mesmo assim, com aval do funcionário de que haveria expediente, a magistrada não estava na comarca até o horário 12h20min e tratava-se de uma terça-feira.
O ato da magistrada de judicializar a ausência injustificada na comarca , o que não foi a primeira vez, configura uma forma de tentar intimidar a representação constitucional dos dos advogados do  SAMA, que no dia a dia defendem o livre exercício da profissão com o respeito à dignidade humana. E também um atentado à organização e representação sindical que no Brasil ´e livre.
Desta forma , o SAMA não recuará um milímetro na defesa da advocacia maranhense, mesmo com ameaça de prisão do seu presidente e continuará denunciando  fatos dessa natureza que passaram a ser corriqueiros no Estado e que ficam sempre sem solução. É fato que as jornadas de trabalho na maioria dos municípios  é  terça, Quarta e quinta, (TQQ) ou quarta e quinta, ( QQ). É fato também que a Corregedoria de Justiça não toma nenhuma providência porque juiz no Maranhão não assina ponto. É fato também que alguns setores da justiça querem calar o SAMA. Mas iremos resistir e denunciar além fronteiras.

MOZART BALDEZ

ADVOGADO

PRESIDENTE DO SAMA

Nenhum comentário:

Postar um comentário